À Rolling Stone, Anitta diz esperar que voto jovem tire “esse FDP do comando do país”

O lançamento de “Versions Of Me” e de seus iminentes shows no Coachella Festival levaram a edição americana da Rolling Stone a fazer uma entrevista com Anitta. O papo envolveu música, a sua conhecida liberdade sexual e também temas mais sérios, como a política. Em um dos momentos mais contundentes da conversa, a carioca não mediu palavras e disparou uma série de impropérios direcionados a Jair Bolsonaro.

O texto conta que até uma campanha para que ela se candidatasse a presidente já foi feita por um grupo de fãs, mesmo que ela esteja longe da idade mínima para concorrer ao cargo. Isso não impediu que ela passasse a se interessar mais por temas políticos e também tenha feito uso de sua voz, e influência, para se manifestar contra o atual presidente e tentar mudar a situação do país. Veja o que ela disse à repórter Julyssa Lopez em uma reportagem publicada com a manchete: “Como Anitta está fazendo o mundo inteiro se apaixonar por ela”.

“Eu estou engajada em uma campanha para que os jovens tirem o título de eleitor. Eu acho que é assim que nós tiraremos esse presidente FDP do comando do país, porque a gente não merece essa m*.”

Em trechos mais descontraídos do papo, ela disse que teve que se segurar para não chorar na frente de Khalid

, um dos convidados especiais de seu álbum, e revelou viver uma relação aberta com um jogador de futebol americano que prefere manter-se anônimo (ela foi vista algumas vezes em público com Tyler Boid, dos Cincinnati Bengals). “Eu faço o que quero e ele faz o que quer, e bastante saudável”.

Em outro momento, a cantora fala que não liga para o que as pessoas acham de seu trabalho e que o fundamental é que ela esteja satisfeita. ” Se eu gosto está bom, eu não preciso que ninguém mais goste”, concluiu.

Fonte: Vagalume