‘THE VOICE+’ É ACUSADO DE MANIPULAÇÃO NOS VOTOS QUE DERAM VITÓRIA A ZÉ ALEXANDDRE

final do ‘The Voice+‘ aconteceu neste domingo (4) na tela da Globo e quem levou a melhor foi Zé Alexanddre, representante do Time Claudia Leitte. O carioca de 63 anos recebeu 39,40% dos votos na disputa contra Catarina Neves (Time Daniel), Dudu França (Time Ludmilla) e Leila Maria (Time Mumuzinho).

Segundo o colunista do jornal ‘Metrópoles’, Leo Dias, existe uma conversa nos bastidores de que o competidor campeão teria sido favorecido por uma fraude na votação. Como? Através dos bots – aplicativos robôs que votam sozinhos.

Um suposto funcionário da TV Globo, que tem acesso aos dados, teria percebido o crescimento repentino e muito intenso de Zé Alexanddre, que conseguiu ultrapassar Leila Maria, candidata que, até então, estava em primeiro lugar na votação – e era considerada a grande favorita ao prêmio desde as audições às cegas.

Estão dizendo por aí que um profissional que trabalha com esse tipo de aplicativo teria sido procurado para reverter a votação a favor de Leila Maria.

Entretanto, ele revelou que não poderia ajudar a cantora porque já tinha sido contratado para levar Zé Alexanddre a vencer o ‘The Voice+’.

Para endossar a história ainda mais, o filho do cantor, Amure Pinho, é da área de tecnologia e teria fácil acesso a desenvolvedores de aplicativos fraudadores como esse.

GLOBO NEGA FRAUDE NO THE VOICE+

Questionada sobre a autenticidade da votação, a TV Globo emitiu uma nota negando qualquer possibilidade nesse sentido. Leia:

“Repudiamos com veemência a suspeita. Nossos monitoramentos internos mostram que os padrões de votação dos finalistas do The Voice+ foram normaissem qualquer desvio que possa indicar concentração exagerada de votos por horário, origem ou qualquer outro parâmetro”.

Monitoramos constantemente as curvas de votação em todos os nossos realities para identificar e mitigar quaisquer riscos de interferência no sistema, através de algoritmos que acompanham o processo de votação permanentemente, a fim de rastrear comportamentos não-humanos”.

“Utilizamos diferentes mecanismos para garantir a segurança da votação, dentre eles, o captcha. Além dele, há outras camadas de segurança no nosso sistema capazes de rapidamente identificar um robô e neutralizá-lo. Desta forma, a especulação sobre uma suposta ação de robôs ou interferência humana não corresponde à realidade”. 

Fonte: Revista.Cifras